BLOG

HOME > BLOG

-

  Atualmente o termo Coaching é muito utilizado, mas pouco se explica sobre sua origem. Inicialmente o termo designava os cocheiros ingleses, que guiavam as carruagens, ainda na idade média. Interessante perceber o sentido originário que a palavra Coaching, derivada de cocheiros, tem de “guiar”, levar a algum lugar desejado. A utilização do termo ressurgiu, em 1850, também na Inglaterra, para se referir aos mestres e professores de universidades, especialmente àquelas figuras responsáveis pela orientação e tutela de alunos em suas provas, testes e trabalhos, conduzindo-os a resultados satisfatórios. Cem anos depois, o termo passou a ser utilizado na literatura de negócios, abordando nuances relativas ao gerenciamento de pessoas. Esse trabalho possibilitou o desenvolvimento de pessoas, a partir de habilidades comportamentais que agregam valor ao desempenho funcional. Em Nova Iorque, no ano de 1960, o Coaching ganha força nas empresas, especificamente o Life Coaching/Coaching de Vida. Um programa educacional foi desenvolvido e, a partir dos seus brilhantes resultados, foi levado para o Canadá e lá aperfeiçoado. Nesse momento passa-se a utilizar técnicas de controle de conflitos e a busca por resolução de problemas é um ponto importante do processo. Na década de 60 foi criado o Instituto Esalen. Lá criaram e estudaram várias técnicas de desenvolvimento humano. Esse Instituto é considerado ainda hoje o lar espiritual do movimento pelo potencial humano. O Esalen incentiva todo tipo de prática, atividade, estudos e conhecimentos que possam desenvolver pessoas e recebe estudantes, artistas, cientistas e religiosos em seus projetos e programas de pesquisa. O intuito é facilitar a transformação pessoal e social. Aqui ainda não se usava o termo para o meio esportivo, mas sabe-se que essa já era uma realidade. Autores como Timothy Gallwey citam o Coaching Esportivo (originado no tênis e no esqui) explicando a forma como os técnicos designavam o oponente do esportista na competição. Percebia-se que o grande trabalho não era avaliar a habilidade e fraqueza do outro, mas as do próprio atleta, que precisaria conhecer seus pontos para melhor trabalha-los, buscando potencializar seu desempenho. Para os brasileiros o termo chegou associado aos esportes, em 1970. Ainda hoje são utilizadas práticas e técnicas deste setor, num conjunto de estudos e ferramentas que são amplamente proveitosas para melhorar performances individuais, no alcance do sucesso almejado. É por essa importante característica que hoje o Coaching tem força nas grandes organizações mundiais:  Desenvolvimento de metas, solução de problemas e alto desempenho de indivíduos e equipes. No início dos anos 80 as empresas perceberam a importância que o Coaching tinha, bem como a eficiência de seus resultados, e o fortalecimento desse trabalho deu-se de forma significativa. Foi então que surgiram trabalhos de Coaching Executivo nos programas de negócios e liderança, se estabilizando como ferramenta potencial no desenvolvimento de pessoas e profissionais. Coaching é, portanto, um processo objetivo que tem por finalidade auxiliar o indivíduo ou grupo de pessoas a alcançarem suas metas a partir do alto desempenho. E, sem dúvida, um trabalho muito elogiado pelas pessoas que já participaram dessa atividade devido aos resultados otimizados e satisfatórios. Deixe sua experiência com o Coaching nos comentários!

-

Passamos a maior parte do tempo em um estado estável, fazendo as coisas da mesma forma dia após dia. Nossa estrutura cerebral nos empurra para esta rotina, pois assim nos sentimentos confortáveis e emocionalmente seguros. Algumas pessoas pensam que a zona de conforto é composta somente por situações agradáveis, que nos geram sentimentos de prazer e felicidade, mas isso não é verdade. Ao contrário do que alguns pensam, a zona de conforto é composta por todas as situações que estamos acostumadas, sejam elas boas ou ruins. Ao longo da vida surgem diversas oportunidades nas quais abrimos mão pelo receio de abandonarmos nossa zona de conforto e pelo medo de enfrentar o novo. A fronteira da zona de conforto é como uma barreira psicológica que nos impede de encarar novos desafios e melhorar nossa qualidade de vida. Se fizermos uma rápida reflexão, talvez percebamos o quanto retardamos nosso desenvolvimento pessoal e profissional por medo de algo que não nos é familiar. Sair da zona de conforto nos permite realizar coisas incríveis. Quando começamos a voar por conta própria e alcançamos novos rumos, nos tornamos arquiteto da nossa vida e o único responsável pela nossa felicidade. A seguir relaciono 05 bons motivos para você expandir sua zona de conforto:04 Aumento da Autoconfiança: Experimentamos um sentimento de realização, pois o novo nos permite ultrapassar aquilo que julgávamos ser nosso limite. A insegurança alimenta-se da não tentativa. Quando tomamos a decisão de tentar começamos a realizar tudo aquilo que, a princípio, tínhamos medo. Descoberta de novas habilidades: Todos nós possuímos habilidades e competências que estão adormecidas, aguardando o momento certo para se manifestarem. Nossa rotina impõe a lei do menos esforço e somente situações excepcionais exigem o nosso melhor. Aprender algo novo: Expandir a zona de conforto é um processo educativo e capacitador. Aprender algo novo requer determinado grau de esforço e dedicação. Tarefas e atividades desafiadoras nos preparam para encarar com mais confiança situações semelhantes no futuro. Novas oportunidades: Sair da zona de conforto é despertar o processo de mudança, e isso provavelmente aumentará a possibilidade de ficarmos expostos a novas possibilidades. É como se surgisse um mundo de possibilidades a nossa volta que ainda desconhecíamos. Fazer algo que a maioria não faz: Pessoas bem sucedidas sabem que segurança é uma ilusão e que para chegar aonde a maioria não chega, é preciso realizar o que a maioria não faz. Tentar algo novo nos beneficia com uma boa dose de criatividade e coragem. Espero que tenham gostado! Deixem seus comentários.

-

O coaching de carreira e de vida vem sendo amplamente utilizado pelas pessoas e empresas. Essa metodologia tem sido uma importante ferramenta para desenvolvimento de pessoas, e consequentemente, das empresas. Então ficamos pensando: "Como o coaching poderia me ajudar ou ajudar a minha equipe e a minha empresa?" "Quem contratar e como descobrir as diretrizes que quero tomar?" Para facilitar essas dúvidas e clarear um pouco a mente de cada um, listamos as principais tendências no mercado de coaching  para pessoas e empresas. Sendo estas:

1. Formação de Coaches dentro das Empresas.

Uma medida muito adotada no mercado é a formação de um líder atuando como coach dentre os profissionais da sua empresa. O objetivo é que este profissional possa realizar os processos de coaching dos funcionários. “Porque essa medida é cada vez mais frequente?” Estudos recentes demonstram que o coaching dentro das empresas promove um crescimento de resultados, mudanças e desenvolvimento dos colaboradores em alta performance. Estes  benefícios refletem diretamente nos resultados das empresas, além de motivar todos os envolvimentos no processo.

2. Saiba O que NÃO falar

Não deixe seus coaches usarem as seguintes palavras: - “Tentar” - “Se ” - “Eu acho” Cada vez que permitimos estas palavras, o cérebro  entende que não é algo relevante, ou que é para deixar para segundo plano. Portanto, nem os coaches nem os clientes devem utilizar estas palavras durante as sessões. A PNL nos ajuda a melhorar nosso padrão de linguagem e a entender melhor as pessoas, tornando as sessões e os resultados mais práticos e objetivos.

3. Coaching em Grupo

Gestão de pessoas é muitas das vezes um dos maiores desafios do líder. Imagine conviver com pessoas totalmente diferentes, com pensamentos diferentes, com histórias de vida diferentes e com problemas e dificuldades diferentes. O Coaching de grupo trabalha justamente sobre isso, ou seja, busca o equilíbrio entre pessoas diferentes. Com essa ferramenta conseguimos maximizar a performance de uma equipe. Lembrem-se do que para trabalharmos em equipe, devemos entender a realidade de cada pessoa. “ Nada mais desigual do que tratar pessoas desiguais de maneira igual”.

4. O poder das perguntas

Adquira a habilidade de fazer perguntas poderosas, nesse quesito a Programação Neurolinguística pode te ajudar muito. Lembre-se de fazer perguntas amplas que vão além de suposições, ou seja, faça perguntas abertas ao invés de perguntas fechadas. Faça também perguntas de acompanhamento. Faça a conexão com o seu cliente.

5. Crie Rapport

“O que é isso? “ O rapport é um ambiente de confiança entre o coach e coachee, é uma sintonia entre os dois. Com o rapport estabelecido ,o processo de coaching fica muito mais fácil, pois é possível entrar no “mapa mental” do coachee e entender melhor sua forma de ver o mundo ao seu redor. Espero que tenha ajudado! Deixe seus comentários e perguntas abaixo farei questão de responder! Sua pergunta pode ser o assunto do nosso próximo artigo aqui no blog! Abraços.

-

A física quântica é uma ciência de possibilidades. Tudo é energia. A física quântica, maior estudiosa das relações entre partículas atômicas, demonstra que cada estado dos corpos se dá de acordo com a velocidade da agitação dessas partes. Entendemos como formas de energia, além dos corpos, o som, a luz, o pensamento e a energia espiritual. Todos esses em uma crescente de velocidade energética, respectivamente. Sabendo que tudo é energia, inclusive nosso corpo, delimitamos então que somos manifestação de energia. Nós vibramos em certa velocidade: o corpo em uma, o pensamento em outra... E é nessa vibração do pensamento em alta velocidade que podemos influenciar pessoas e o mundo, atraindo exatamente o que estamos conectados, manifestando a energia e gerando realizações condizentes com tal emissão. Ela estuda e comprova fenômenos que oferecem caminhos e soluções para que o indivíduo viva em equilíbrio, com saúde física e mental, em várias dimensões. Ela interage com o mundo e, apesar de pouco compreendida, revoluciona conceitos e traz recursos para que tenhamos mais qualidade em nossas vidas. Com caminhos nada óbvios ou de difícil percepção, a física quântica trata do poder energético que emitimos ao universo e como o universo nos devolve essa comunicação.  Para os estudiosos dessa área, nós influenciamos o mundo através do que emitimos, seja através de palavras, atitudes ou até mesmo pensamentos. Eis que as respostas são estimuladas por nós mesmos. O coaching, conforme seu posicionamento, quer tornar o coachee leve, feliz e realizado. Para isso pode-se utilizar dos conhecimentos da física quântica no intuito de energizar e potencializar as atitudes e pensamentos do cliente, em busca da excelência de seus resultados, conforme a meta estabelecida. Ou seja, de uma forma mais sucinta e objetiva, somos fruto do que pensamos. Quando temos pensamentos e atitudes negativas, nossa vida será cercada de reflexos desse padrão vital emitido. Em contrapartida, se emanamos positividade, vitalidade, alegria, prazer e bem estar, grandes realizações serão alcançadas, reflexo da energia que emitimos. É assim com fatos e pessoas: atraímos o que propagamos. No processo de coaching, sabemos da grande responsabilidade que temos de construir nosso próprio resultado. Temos a consciência de que nossos comportamentos refletem no alcance das metas. A questão do empenho, da disciplina, de querer superar obstáculos, crenças limitantes... aqui não seria diferente. Positividade e boas energias concorrem para o nosso sucesso. E é nesse ponto que a física quântica entra com força total. Bom, se pensamento se transforma em resultado, se somos ímãs do que emitimos, o coaching vai auxiliar nesse fluxo energético do pensamento. É importante demonstrar ao cliente, mais uma vez, a importância do seu posicionamento de vida. Dessa vez com o apoio de uma ciência tão minuciosa e respeitada: a física quântica, que trata das frequências constatáveis no encefalograma, a partir de sinais magnéticos. Pensamento poderoso: Você é o arquiteto da sua vida. Você é seu próprio escultor. Vale ressaltar que ser omisso, ficar “em cima do muro”, também te trará respostas no automático. Está tudo interligado. Eis a hora de praticá-la! A mente não distingue o que é imaginação ou realidade. Visualizar é um forte caminho para materializar, para realizar. Pense positivo, pense na abundância. Além desses argumentos sobre a física quântica, vale trazer exemplos de algumas leis que têm total compatibilidade e usabilidade no coaching: A lei da causação dependente nos diz que muitas coisas são apenas sintomas, como visto anteriormente. Observar superficialmente não é tratar. Os problemas normalmente não são tratados ou resolvidos nos níveis em que foram criados. Já a lei da descontinuidade trata da movimentação dos elétrons, que nem sempre se dá de forma contínua. Eles podem desaparecer de uma órbita, surgindo em outra diversa. Na rotina prática podemos, paralelamente, observar curas que não se dão por tratamentos convencionais, ou mudanças inesperadas de algumas situações de nossas vidas. A lei da não-localidade, introduzida por Einstein, demonstra que podem acontecer coisas entre dois seres, ou duas coisas, em locais diversos. Percebe isso quando pensa em alguém que não vê há tempos e essa pessoa te liga? Ou quando alguém sente uma dor e vai ver um ente querido teve um problema naquela região dolorida? O que queremos dizer, por fim, é que todos nós devemos considerar a importância do conhecimento dos diferentes níveis da consciência do ser humano, promovendo a compreensão e a aplicação dessas possibilidades tão ricas de pensar e viver a vida de forma salutar, positiva e realizadora. Vamos utilizar nossos recursos internos em busca do sucesso de nossos objetivos. Somos sim, responsáveis por nossos resultados.

RECEBA CONTEÚDOS
EXCLUSIVOS

SIGA-NOS:

INEMP 2018 - Todos os direitos Reservados