BLOG

HOME > BLOG

Um dos principais desafios que temos é sabermos gerenciar nossa mente. Para que isso aconteça, devemos saber a diferença entre expectativas e metas. Muitas pessoas tem expectativas para 2018, mas, não metas. Uma meta é uma ” expectativa com pernas”, ou seja, deve ser possível ser alcançada e ser específica. Um dos primeiros passos para... Ver Mais

-

O coaching de carreira e de vida vem sendo amplamente utilizado pelas pessoas e empresas. Essa metodologia tem sido uma importante ferramenta para desenvolvimento de pessoas, e consequentemente, das empresas. Então ficamos pensando: "Como o coaching poderia me ajudar ou ajudar a minha equipe e a minha empresa?" "Quem contratar e como descobrir as diretrizes que quero tomar?" Para facilitar essas dúvidas e clarear um pouco a mente de cada um, listamos as principais tendências no mercado de coaching  para pessoas e empresas. Sendo estas:

1. Formação de Coaches dentro das Empresas.

Uma medida muito adotada no mercado é a formação de um líder atuando como coach dentre os profissionais da sua empresa. O objetivo é que este profissional possa realizar os processos de coaching dos funcionários. “Porque essa medida é cada vez mais frequente?” Estudos recentes demonstram que o coaching dentro das empresas promove um crescimento de resultados, mudanças e desenvolvimento dos colaboradores em alta performance. Estes  benefícios refletem diretamente nos resultados das empresas, além de motivar todos os envolvimentos no processo.

2. Saiba O que NÃO falar

Não deixe seus coaches usarem as seguintes palavras: - “Tentar” - “Se ” - “Eu acho” Cada vez que permitimos estas palavras, o cérebro  entende que não é algo relevante, ou que é para deixar para segundo plano. Portanto, nem os coaches nem os clientes devem utilizar estas palavras durante as sessões. A PNL nos ajuda a melhorar nosso padrão de linguagem e a entender melhor as pessoas, tornando as sessões e os resultados mais práticos e objetivos.

3. Coaching em Grupo

Gestão de pessoas é muitas das vezes um dos maiores desafios do líder. Imagine conviver com pessoas totalmente diferentes, com pensamentos diferentes, com histórias de vida diferentes e com problemas e dificuldades diferentes. O Coaching de grupo trabalha justamente sobre isso, ou seja, busca o equilíbrio entre pessoas diferentes. Com essa ferramenta conseguimos maximizar a performance de uma equipe. Lembrem-se do que para trabalharmos em equipe, devemos entender a realidade de cada pessoa. “ Nada mais desigual do que tratar pessoas desiguais de maneira igual”.

4. O poder das perguntas

Adquira a habilidade de fazer perguntas poderosas, nesse quesito a Programação Neurolinguística pode te ajudar muito. Lembre-se de fazer perguntas amplas que vão além de suposições, ou seja, faça perguntas abertas ao invés de perguntas fechadas. Faça também perguntas de acompanhamento. Faça a conexão com o seu cliente.

5. Crie Rapport

“O que é isso? “ O rapport é um ambiente de confiança entre o coach e coachee, é uma sintonia entre os dois. Com o rapport estabelecido ,o processo de coaching fica muito mais fácil, pois é possível entrar no “mapa mental” do coachee e entender melhor sua forma de ver o mundo ao seu redor. Espero que tenha ajudado! Deixe seus comentários e perguntas abaixo farei questão de responder! Sua pergunta pode ser o assunto do nosso próximo artigo aqui no blog! Abraços.

-

Como me preparar para o atual mercado de trabalho sem ser somente mais um? Essa é uma das principais perguntas dos profissionais que desejam avançar em suas carreiras, alcançando melhor remuneração, qualidade de vida e oportunidades de aprendizado contínuo. A reposta para conquistar tudo isso? Você precisar se diferenciar, precisa encontrar meios de se destacar. Com o mercado altamente competitivo, esperam-se cada dia mais mudanças de emprego ao longo de uma carreira. E a melhor forma de lidar com a imprevisibilidade no futuro é investir no conhecimento e mostrar competência. Para entender melhor os conceitos de qualificação e competência, vamos recorrer á história. É no período pós-guerra, na França, que surge o conceito de qualificação: a cada posto de trabalho correspondia um nível escolar; uma vez adquiridos os conhecimento profissionais o trabalhador poderia ali permanecer sem que lhe exigissem novas aprendizagens. Havia, assim, uma estável correspondência entre "nível de formação" e "nível de qualificação", que garantia uma carreira sólida e previsível. Mas e atualmente? O diploma é suficiente para garantia de emprego? Já sabemos que não. O que se verifica é que o mercado quer mais do que qualificação. Podemos dizer que, hoje, a competência de um profissional será determinada pela sua capacidade de alinhar conhecimento, habilidade e atitude. Ou seja, sua capacidade de aplicar o aprendizado de forma produtiva, sua habilidade interpessoal para trabalhar em equipe, se comunicar e influenciar pessoas e sua atitude de comprometimento e responsabilidade. Por isso, a maioria dos executivos continua investindo em estudos mesmo quando chega a posições privilegiadas na carreira. Eles compreendem que a atualização constante os coloca em destaque. Sucesso é competência aliada à consistência, por isso, todo profissional tem a obrigação de melhorar, sempre. Se você está em busca de uma oportunidade, ficar imaginando como seria bom ver seu sonho realizado não vai torná-lo realidade. Quem se limita ao dia-a-dia de trabalho dificilmente consegue se manter antenado às tendências de sua área. Essas pessoas acabam ficando muito funcionais, focadas apenas na execução.

"Não é somente a empresa que escolha você, mas você também pode escolher onde e como quer trabalhar. Por isso, você terá que dizer não para algumas possibilidades."

Para se diferenciar no mercado, trace planos de curto, médio e longo prazos, pense onde você quer estar daqui a dois, cinco, 10 anos e conduza sua vida profissional, pois, se você não souber aonde quer chegar, vai acabar encontrando pessoas que vão usá-lo para atingir os objetivos delas. Lembre-se de que a velocidades só faz sentido se você estiver na direção certa.

Seus planos devem ser claros, pois existem dois tipos de pessoas: as que sofrem por incompetência e as que sofrem por competência. As primeiras devem buscar desenvolver suas competências para permanecer no mercado. E as que sofrem por competência? Estas têm que saber dizer não. Não é somente a empresa que escolher você, mas você também pode escolher onde e como quer trabalhar. Por isso, você terá que dizer não para algumas possibilidades.

De maneira geral, o que fazer então para ser um profissional de destaque no mundo atual?

Desenvolver sua capacidade para aprender - o trabalhador do conhecimento terá ao longo da vida que gerir a si próprio e enfrentar várias mudanças ao longo  da carreira.

Desenvolver e atualizar suas competências - não basta tê-las, é preciso que elas já sejam percebidas;

  • Ampliar seus conhecimentos - não apenas os técnicos;
  • Expandir sua rede de relacionamentos - dentro e fora da empresa.
   

-

Para Roger Fisher, professor de Harvard Law School, todas as negociações são diferentes, mas os elementos básicos não se alteram desta forma é possível produzir uma série de recomendações a serem seguidas na preparação e execução de uma negociação. A Negociação Baseada em Princípios, apresentado por FISHER (1994) como um método, é uma estratégia para diversos casos, composta por quatro princípios: Separar as pessoas dos problemas – o bom negociador deve separar as pessoas e os problemas, preservando os egos dos envolvidos, concentrando-se em discussões substantivas e preservando o relacionamento. É importante observar as percepções, as emoções e a comunicação, a fim de evitar mal-entendido. Concentrar-se nos interesses e não nas posições – muitas vezes as partes de uma negociação não separam necessidades, interesses e temores, dificultando uma solução. Os interesses motivam as pessoas e as levam a adotar uma posição, que nem sempre é a única possível, mas a partir do momento que a adotam concentram-se nela e muitas vezes não revelam seus reais interesses à outra parte. Podemos encontrar por trás de posições opostas, interesses compatíveis ou até mesmo comuns entre as partes. Desenvolver opções de ganhos mútuos – Negociação também exige criatividade, é preciso inventar soluções que satisfaçam as partes, é preciso gerar benefícios recíprocos. Só é possível a elaboração de opções após a identificação dos interesses reais das partes. Pode-se passar do impasse ao acordo com a uma solução criativa. Insistir em critérios objetivos – é mais fácil conduzir uma negociação com critérios objetivos que com ameaças. As partes devem chegar a um acordo sensato quanto aos critérios a serem utilizados, segundo Fisher, estes devem ser justos, imparciais, legítimos e práticos.  

-

A física quântica é uma ciência de possibilidades. Tudo é energia. A física quântica, maior estudiosa das relações entre partículas atômicas, demonstra que cada estado dos corpos se dá de acordo com a velocidade da agitação dessas partes. Entendemos como formas de energia, além dos corpos, o som, a luz, o pensamento e a energia espiritual. Todos esses em uma crescente de velocidade energética, respectivamente. Sabendo que tudo é energia, inclusive nosso corpo, delimitamos então que somos manifestação de energia. Nós vibramos em certa velocidade: o corpo em uma, o pensamento em outra... E é nessa vibração do pensamento em alta velocidade que podemos influenciar pessoas e o mundo, atraindo exatamente o que estamos conectados, manifestando a energia e gerando realizações condizentes com tal emissão. Ela estuda e comprova fenômenos que oferecem caminhos e soluções para que o indivíduo viva em equilíbrio, com saúde física e mental, em várias dimensões. Ela interage com o mundo e, apesar de pouco compreendida, revoluciona conceitos e traz recursos para que tenhamos mais qualidade em nossas vidas. Com caminhos nada óbvios ou de difícil percepção, a física quântica trata do poder energético que emitimos ao universo e como o universo nos devolve essa comunicação.  Para os estudiosos dessa área, nós influenciamos o mundo através do que emitimos, seja através de palavras, atitudes ou até mesmo pensamentos. Eis que as respostas são estimuladas por nós mesmos. O coaching, conforme seu posicionamento, quer tornar o coachee leve, feliz e realizado. Para isso pode-se utilizar dos conhecimentos da física quântica no intuito de energizar e potencializar as atitudes e pensamentos do cliente, em busca da excelência de seus resultados, conforme a meta estabelecida. Ou seja, de uma forma mais sucinta e objetiva, somos fruto do que pensamos. Quando temos pensamentos e atitudes negativas, nossa vida será cercada de reflexos desse padrão vital emitido. Em contrapartida, se emanamos positividade, vitalidade, alegria, prazer e bem estar, grandes realizações serão alcançadas, reflexo da energia que emitimos. É assim com fatos e pessoas: atraímos o que propagamos. No processo de coaching, sabemos da grande responsabilidade que temos de construir nosso próprio resultado. Temos a consciência de que nossos comportamentos refletem no alcance das metas. A questão do empenho, da disciplina, de querer superar obstáculos, crenças limitantes... aqui não seria diferente. Positividade e boas energias concorrem para o nosso sucesso. E é nesse ponto que a física quântica entra com força total. Bom, se pensamento se transforma em resultado, se somos ímãs do que emitimos, o coaching vai auxiliar nesse fluxo energético do pensamento. É importante demonstrar ao cliente, mais uma vez, a importância do seu posicionamento de vida. Dessa vez com o apoio de uma ciência tão minuciosa e respeitada: a física quântica, que trata das frequências constatáveis no encefalograma, a partir de sinais magnéticos. Pensamento poderoso: Você é o arquiteto da sua vida. Você é seu próprio escultor. Vale ressaltar que ser omisso, ficar “em cima do muro”, também te trará respostas no automático. Está tudo interligado. Eis a hora de praticá-la! A mente não distingue o que é imaginação ou realidade. Visualizar é um forte caminho para materializar, para realizar. Pense positivo, pense na abundância. Além desses argumentos sobre a física quântica, vale trazer exemplos de algumas leis que têm total compatibilidade e usabilidade no coaching: A lei da causação dependente nos diz que muitas coisas são apenas sintomas, como visto anteriormente. Observar superficialmente não é tratar. Os problemas normalmente não são tratados ou resolvidos nos níveis em que foram criados. Já a lei da descontinuidade trata da movimentação dos elétrons, que nem sempre se dá de forma contínua. Eles podem desaparecer de uma órbita, surgindo em outra diversa. Na rotina prática podemos, paralelamente, observar curas que não se dão por tratamentos convencionais, ou mudanças inesperadas de algumas situações de nossas vidas. A lei da não-localidade, introduzida por Einstein, demonstra que podem acontecer coisas entre dois seres, ou duas coisas, em locais diversos. Percebe isso quando pensa em alguém que não vê há tempos e essa pessoa te liga? Ou quando alguém sente uma dor e vai ver um ente querido teve um problema naquela região dolorida? O que queremos dizer, por fim, é que todos nós devemos considerar a importância do conhecimento dos diferentes níveis da consciência do ser humano, promovendo a compreensão e a aplicação dessas possibilidades tão ricas de pensar e viver a vida de forma salutar, positiva e realizadora. Vamos utilizar nossos recursos internos em busca do sucesso de nossos objetivos. Somos sim, responsáveis por nossos resultados.

RECEBA CONTEÚDOS
EXCLUSIVOS

SIGA-NOS:

INEMP 2018 - Todos os direitos Reservados